15 de abril de 2024 - 07:04

Educação

04/03/2024 08:52

Mãe afirma que recursos de acessibilidade ajudaram estudante com deficiência visual a ser aprovada para intercâmbio

Lavinea Real, de 15 anos, uniu estudo com recursos de acessibilidade da plataforma Mais Inglês e do dispositivo OrCam MyEye

Os recursos de acessibilidade da plataforma do Programa Mais Inglês, da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), foram fundamentais para que a estudante da Escola Estadual Nilo Póvoas, em Nobres, Lavinea Real Matos dos Santos, 15 anos, fosse a primeira cega classificada para o Programa Intercâmbio MT no Mundo e ganhasse uma viagem para a Inglaterra 100% custeada pelo Governo do Estado. A afirmação é da mãe da estudante, Rejane Real de Matos.


“A Lavinea sempre foi muito dedicada, esforçada, porque quer entregar, e acredito que os investimentos do Governo a ajudaram nesta conquista. A acessibilidade da plataforma do Mais Inglês facilita muito o aprendizado dela em sala de aula”, disse. 


Entre os recursos de acessibilidade estão o volume do áudio que reproduz com precisão o conteúdo exibido na tela do Chromebook, além da identificação de imagens pelo dispositivo OrCam MyEye, óculos de inteligência artificial, com sensor óptico que captura a imagem e converte as informações instantaneamente em áudio por meio de um pequeno alto-falante localizado acima do ouvido. 


No 1º ano do Ensino Médio, Lavinea faz parte do grupo de 100 estudantes da rede estadual de ensino que vai participar da 2º edição do intercâmbio de 21 dias na Inglaterra. O curso de inglês tem 30 aulas semanais de 40 minutos cada, de acordo com o nível de proficiência linguística. A data da viagem ainda a ser definida pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT). 
A professora de Inglês de Lavinia, Rosinete Pinto Sampaio, disse que a oportunidade que o MT no Mundo oferece irá enriquecer não apenas o conhecimento acadêmico dos participantes, mas também sua bagagem cultural e pessoal. “Ela é um exemplo de aluna e, por mais que ela tenha a dificuldade visual, se esforça, faz as atividades, as tarefas. Com determinação e esforço, é possível uperar qualquer desafio e alcançar o sucesso. Lavinea é prova disso”, pontuou.
Além dos recursos tecnológicos, a estudante teve o seu próprio mérito. O que mais pesou para que ela fosse selecionada foi a participação ativa na plataforma do Mais Inglês. Ela somou quatro certificados emitidos com média 95, mostrando comprometimento e habilidade no idioma. “Ela disputou de igual para igual com os demais estudantes selecionados, provando que a deficiência não é um obstáculo para alcançar os objetivos”, explicou a professora.
Por sua vez, a estudante confessou que ficou nervosa no momento em que recebeu uma ligação do próprio governador Mauro Mendes para receber as boas-vindas ao programa e, ao mesmo tempo, disse que se sentiu feliz. “Não paro de comemorar. Além do aprendizado sobre a cultura da Inglaterra, terei um certificado que fará parte do meu currículo”, acrescentou.
 

O uso de tecnologias como o OrCam MyEye nas atividades é rotina de Lavinia em casa e na escola - Foto: Seduc-MT
O secretário de Estado de Educação, Alan Porto, ressaltou que o Intercâmbio MT no Mundo representa um passo significativo na busca pela inclusão e igualdade de oportunidades na educação pública.
 reflete não apenas a felicidade pela realização da conquista, mas também pelo conjunto de ações realizadas pela Seduc. Segundo ele, realmente, os investimentos em tecnologias fizeram a diferença nessa quebra de paradigmas com a seleção da Lavínia. “Ela foi a primeira e outros estudantes público alvo da educação especial serão motivados a seguirem o mesmo caminho”.
Ele observou que, nas duas edições do programa MT no Mundo, investiu R$ 10,7 milhões para bancar todos os custos relacionados ao intercâmbio, inclusive com as diárias dos participantes. De 2023 a 2024, também foram investidos R$ 36 milhões na plataforma do Programa Mais Inglês.
Na aquisição do dispositivo com inteligência artificial OrCam MyEyes para atender 128 estudantes e 42 professores cegos, o investimento foi de R$ 2,5 milhões.
“Alinhando os recursos que a plataforma do Mais Inglês oferece a pessoa com deficiência, além da tecnologia do dispositivo OrCam MyEye que, literalmente, ajuda o estudante cego a enxergar, a nossa expectativa é que na próxima edição do intercâmbio tenhamos mais inclusão”, concluiu Alan Porto.
MT no Mundo
Lançado em 2023, o MT no Mundo seleciona a cada edição 50 estudantes da rede estadual de ensino que obtiveram as melhores médias na avaliação de saída do ano letivo e outros 50 estudantes que conseguirem os melhores desempenhos na plataforma Mais Inglês e que apresentaram, no mínimo, quatro certificados mais avançados de níveis diferentes do curso de inglês, entre os 16 disponíveis no sistema.
Durante a estadia na Inglaterra, cada estudante receberá ajuda de custo semanal no valor de 250 libras esterlinas. Além disso, o Estado vai custear toda a documentação necessária para a viagem, as passagens aéreas e a hospedagem.
Em 2023, os estudantes que participaram da 1ª edição foram divididos em grupos nas cidades de Brighton, Bournemouth, Oxford, Worthing, Eastbourne e Cambridge. No entanto, o programa poderá incluir outras cidades no roteiro.